17 de março de 2017

A cidade de Belém

A Cidade de Belém

“Porém me conquistar mesmo a ponto de ficar doendo no desejo, só Belém me conquistou assim. Meu único ideal de agora em diante é passar uns meses morando no Grande Hotel de Belém. O direito de sentar naquela terrace em frente das mangueiras tapando o teatro da Paz, sentar sem mais nada, chupitando um sorvete de cupuaçu, de açaí.”

Mário de Andrade

“A Cidade das Mangueiras”

Belém, capital do Estado do Pará com cerca de 1,8 milhão de habitantes é o centro econômico da região norte. Uma cidade cercada por rios, igarapés e canais, famosa por seus túneis de mangueiras e pelo alto índice pluviométrico, principalmente entre os meses de Novembro a Maio. A chuva, por sinal, já se incorporou ao folclore da cidade, pois geralmente é rápida, apenas para amenizar o calor dos trópicos.

O que mais impressiona em Belém, entre todos os seus atrativos, é a presença da natureza integrada à vida urbana através de bosques, verdadeiros pedaços da floresta amazônica que convivem em harmonia com o movimento incessante da metrópole.

No folclórico Mercado Ver-o-Peso, a mistura de cores, aromas e sabores de ervas e comidas exóticas mostram uma face alegre e fascinante de Belém. O Ver-o-Peso, com 26.500 m2, é uma feira livre por onde circulam, diariamente, centenas de pessoas. Centro comercial de onde se encontra da comida a roupa, a feira é o cartão postal mais conhecido da cidade. Nas inúmeras barracas são encontradas as saborosas frutas típicas da região, como cupuaçu, uxi, açaí, bacuri e pupunha; as várias espécies de peixes e mariscos; a carne vermelha, verduras, legumes e, dando o toque místico e mágico, as ervas usadas na chamada “medicina da selva”.

Há remédio para uma simples dor de dentes até uma boa “garrafada”, feita com plantas e partes animais, usadas inclusive para “amansar maridos”, e com nomes sugestivos: “chora aos meus pés”, “pega não me larga”, “chega-te-a mim”.

O artesanato é outra atração do Pará, podendo ser visto – e comprado – Vila de Icoaraci, a 25 Km de Belém. Conhecida também pela culinária a base de peixes e mariscos, Icoaraci é o maior centro de artesanato em cerâmica do Pará.

A capital paraense oferece ainda a cozinha mais autêntica do Brasil. Pratos como maniçoba, pato no tucupi, pirarucu do céu, casquinha de caranguejo, tacacá e caldeirada de peixes, são algumas das delícias que formam o cardápio mais exótico do país.

« 1 de 2 »

Reconhecido internacionalmente pela comunidade científica, o Museu paraense Emilio Goeldi, desenvolve estudos sobre botânica e arqueologia. O Museu é formado pelo Parque Zoobotânico, com duas mil espécies de plantas nativas da Amazônia, que convivem com 600 exemplares da fauna da região – incluindo macacos, preguiças, pássaros, anta, capivara e vários répteis e anfíbios: pelo aquário, que abriga algumas das espécies ictiológicas mais raras dos rios amazônicos e, pela exposição arqueológica e antropológica , com autênticas peças marajoaras, tapajônicas e artefatos indígenas.

Belém também possui muitas praias de rio, principalmente nas ilhas de Mosqueiro, Outeiro e Cotijuba, e praias oceânicas como Algodoal, Salinas e Ajuruteua, além da monumental ilha de Marajó, o maior arquipélago fluvio-marítimo da Terra.